As Bicicletas dobráveis

Neste post vamos trazer a história das bicicletas dobráveis, no Brasil e no mundo.

Conhecida como Folding (dobráveis em inglês), este modelo de bicicletas foi patenteada pela primeira vez nos EUA, pelo Inventor Emmit G. Latta, em 21 de Fevereiro de 1888. Um trecho da patente diz “o objetivo desta invenção é fornecer uma máquina segura, forte e útil, é mais facilmente orientados do que as máquinas em uso agora, e para construir a máquina de tal modo que a mesma pode ser dobrada quando não é necessário para uso”.

 

Latta vendeu a patente a Pope Manufacturing Company, que comprou dezenas de patentes relacionadas durante o início da era das bicicletas na América, incluindo a primeira patente de pedal de bicicletas dos EUA, emitida para Pierre Lallement, em 1866. Pope também vendeu motos sob a marca Columbia. Latta ainda inventou um triciclo dobrável e também vendeu a patente a Pope.

 

Outra invenção documentada precoce é a acima citada, também inventada por um americano, Michael B. Ryan, em 17 de abril de 1894.

Este modelo de bicicletas foi amplamente utilizado com fins militares em diversos países, tais como: Áustria (Estíria), Inglaterra (Dursley-Pedersen e Faun), Alemanha (Seidel e Naumann), Holanda (Fongers e Burgers), Itália (Bianchi), França (Peugeot), Rússia (Leitner) e Japão (Katakura). Entretanto, o fabricante mais conhecido foi a Inglesa BSA (Birmingham Small Arms). Eles produziram milhares de bicicletas dobráveis para uso na Primeira e Segunda guerra Mundial, utilizadas por paraquedistas.

 

Poucas bicicletas dobráveis foram produzidos para uso particular durante a Segunda Guerra. No entanto, vale a pena mencionar a Le Petit Bi, da França, mostrada na imagem abaixo.

Alguns textos da época alegavam erradamente que ela foi a primeira bicicleta dobrável de rodas pequenas do mundo. O fato é que o quadro não dobrava, apenas partes, como faziam na japonesa Katakura porta-cycle. Está bicicleta foi patenteada em 1939.

 

A primeira bicicleta de rodas pequenas do mundo, de fato, foi desenvolvida no início de 1920, por um inventor enigmático, C.H. Clark.

Da década de 30 até a de 50 foi um período silencioso na história das bicicletas dobráveis, acompanhando a tendência das demais bicicletas no mundo, devido a popularidade do automóvel e também das motocicletas.

A década de 60 Marcou o renascimento das bicicletas dobráveis. Grande parte devido a Bicicleta Mouton, em 1962. Embora não se trata-se de uma bicicleta dobrável, suas rodas pequenas serviram de inspiração para novos modelos de Bicicletas dobráveis.

No entanto, uma influência ainda mais marcante para as futuras Bicicletas dobráveis foi a italiana Graziella, em 1964, cujo design foi amplamente copiado até hoje.

 

Seu quadro era simples, em forma de “U”, sendo projetado pelo design italiano Rinaldo Donzelli. As formas deste quadro começaram a ganhar o mundo em meados dos anos 60, onde por exemplo a Monark, com sua Monareta e Caloi com sua Berlineta, iniciaram sua produção, tornando-se grande sucesso no Brasil.

 

A década de 70 viu uma proliferação das dobráveis pelo mundo, tais como: França (Astra, Peugeot, Motobécane e Motoconfort), Itália (Bianchi, Carnielli, Cinzia, Formicone e Rizzato), Áustria (Dusika e Puch), Alemanha (Heinemann Werke, Hércules, Jogada, Kalkhoff, Mettler, Kynast, Panther, Rixe, Schauff e Staiger), Polônia (Romet e ZZR), Japão (Bridgestone), Espanha (Besteigui Hermanos, GAC e Tortor), Argentina (Aurora e Bergamasco), Reino Unido (Raleigh, Dawes, Eswick Hooper), EUA (Schwinn) e URSS (Salute). Está foi a década de ouro das bicicletas na de aros pequenos.

Veja, abaixo, diversos modelos dobráveis de todo o mundo:

 

A história da Bicicleta Graziella

A empresa Graziella foi fundada em 1964, tendo origem italiana, assim como seus emigrantes que a trouxeram nas malas e bagagens ao chegar de navio no Brasil na década de 60′. Quando os italianos vinham ao Brasil, simplesmente traziam tudo consigo (ferramentas, roupas, comida, veículos…) pois sabiam que ao chegar na nova nação encontrariam um país em desenvolvimento pleno.

 

Traziam também consigo o projeto de sua nova Bicicleta, que já fazia grande sucesso na Europa, que era muito mais que uma nova Bicicleta dobrável, era um novo conceito, com aros pequenos, um design revolucionário, que inspirou diversos fabricantes no mundo todo e no Brasil não seria diferente, onde as gigantes Monark e Caloi criaram modelos inspirados nela.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s