Monark Ranger – A 1ª Montain Bike da Monark

Monark BMX Ranger 1986
Monark BMX Ranger 1986

Trazemos agora a história de uma bicicleta que foi mais que um lançamento de um modelo que inaugurou um segmento, mais que nasceu junto com uma modalidade que foi um divisor de águas no ciclismo nacional, o Montain Bike, que provocou uma revolução na indústria ciclística nacional. Estamos falando da Monark Ranger, incialmente chamada de BMX Ranger (e que ironicamente hoje, um modelo infantil de BMX, também adota este nome).

Mas para contar esta trajetória vitoriosa, precisamos nos aprofundar na história desta categoria, responsável por uma verdadeira transformação no ciclismo do Brasil, como já dissemos.

HISTÓRIA DO MONTAIN BIKE

O mountain bike brasileiro nasce com os cariocas. São eles que trazem um punhado de bicicletas importadas, formam um grupo de amigos que saem para pedalar em velhas fazendas, trilhas e estradinhas. Para quem não podia adquirir uma importada a saída era fazer adaptações nas bicicletas nacionais, principalmente da Monark Ranger, o seu segundo modelo. Era mais ou menos previsível que depois de 1988, após o 1º Mountain Bike Cup Fazenda Hotel Jatahy, organizado por Marcos Ripper, em Paraíba do Sul – RJ, a coisa toda explodisse no país. Tudo indicava que os cariocas iriam ditar os rumos; já haviam feito um campeonato, tinham conhecimento técnico avançado das bicicletas e, na época, eram os únicos fabricantes, artesanais, de quadros específicos para mountain bike (Pró Bike).

Um dos primeiros campeonatos de Montain Bike
Um dos primeiros campeonatos de Montain Bike

Em São Paulo tudo nasceu com JB e Renata Falzoni com sua genial criação: o 1º Cruiser das Montanhas de Campos do Jordão, patrocinado pela Caloi. Foi um mês – julho – com 50 bicicletas Cruiser Montana 5 marchas e um sucesso absurdo! Renata e J.B fariam a primeira prova ainda em 1988. Partiram para uma Copa (Halls-Lâminas Schick) que foi um dos pontos altos de todo o ano de 1989.

Renata Falzoni - uma das responsáveis pela introdução do Montain Bike em São Paulo
Renata Falzoni – uma das responsáveis pela introdução do Montain Bike em São Paulo

COMEÇO DA MONARK RANGER

Em 1985 surgem duas bicicletas que seriam uma revolução no mercado brasileiro: Monark Ranger e Caloi Cruiser. Ambas eram do tipo “beach cruiser” e viriam iniciar a era do Montain bike no país. O primeiro modelo da Ranger tinha algumas características visuais das primeiras mountain bikes americanas, como pneus balão, freios cantilever que eram ruins, além de guidão preso a um avanço duplo em forma de “V”. A primeira Caloi Cruiser tinha o mesmo conjunto de guidão, mas seu quadro e os freios ferradura pareciam mais uma BMX de adulto. Os dois fabricantes erram de maneira grosseira na percepção da realidade e na estratégia, com seus modelos que não eram nem uma bicicleta de praia, nem de montanha. 

Monark Ranger 1988
Monark Ranger 1988

As duas acabaram sendo nossa primeira opção para pedalar fora de estrada por absoluta falta de opções. Eram feitas adaptações de marchas, sistema de freio e avanço de guidão. 

O segundo modelo Ranger foi totalmente reformulado, com alterações nos freios, avanço e guidão. O mercado da época ainda era claramente dividido e os cariocas, que praticamente só tinham a Ranger, passaram a usar seu quadro e garfo como base para criar uma bicicleta que fosse pedalável na terra. O mesmo iria acontecer uns dois anos depois com as Cruiser em São Paulo.

Em 1989 surge a primeira bicicleta própria para o esporte, a Caloi Mountain Bike 18. Com quadro claramente inspirado na GT americana, com 18 marchas, freios cantilever que funcionavam relativamente bem, o modelo faz sucesso, mas era impróprio para competições porque era frágil. Aos poucos o número de importadas foi crescendo, a maioria trazida na bagagem de quem viajava, mas eram muito caras. Mesmo numa cidade como São Paulo era possível identificar o dono pela bicicleta e na maioria dos casos todos eram conhecidos ou mesmo amigos.

A Monark não acompanha com clareza esta tendência, e ainda insiste em modelos bem simples, como a Ranger Afrikan.

Monark Ranger Afrikan 1989
Monark Ranger Afrikan 1989

Finalmente a Monark desperta, e traz modelos mais sofisticados para o mercado, como a M. Bike.

Monark Ranger M. Bike 18 marchas 1990
Monark Ranger M. Bike 18 marchas 1990

Um modelo muito melhor do que os anteriores, com câmbio Shimano SIS de 18 velocidades, freios de melhor qualidade e aros de alumínio.

Mais a Caloi dá o troco, trazendo para o mercado, em 1994,  uma excelente Montain bike, a Aspen Way 1, com câmbio indexidado Shimano Altus C20.

Caloi Aspen Way 1 1994
Caloi Aspen Way 1 1994

Em 1995 a Monark traz a Ranger Montain, com câmbio Shimano de 6 marchas. A despeito do nome, era um modelo básico, para uso urbano.

Monark Ranger Montain
Monark Ranger Montain 1995

Neste mesmo ano a Monark traz outro modelo, muito similar ao Montain, o modelo SIX, também com seis marchas, mais câmbio Monark.

Monark Ranger SIX 1995
Monark Ranger SIX 1995

Muitos outros modelos viriam depois, como a Ranger Trail, de 12 velocidades.

Monark Ranger Trail 12 velocidades
Monark Ranger Trail 12 velocidades

Também a Monark Canyon.

Monark Canyon
Monark Canyon 18 V

A Monark Allum frame, com quadro de alumínio e câmbio indexado.

Monark Allum Frame
Monark Allum Frame

Dando continuidade a história das Montain bikes, vale dizer que aos poucos foram aparecendo novas marcas nacionais que tentam entrar no mercado que até então era quase que exclusivo de Caloi e Monark. A Tekway foi a primeira com porte maior a se aventurar, tinha uma fábrica bem organizada, preocupação com qualidade, mas o projeto das suas bicicletas era estranho, quando não errado, e depois de certo tempo saíram do mercado. A Urbano tinha produtos muito baratos, inúmeros desenhos de quadros, muitos deles estranhos ou mal resolvidos, mas mesmo vendendo bem não foram capazes de controlar o grave problema de qualidade de seus produtos e a marca acabou falindo. E assim foi com uma série de nomes que se seguiram. O jogo do mercado era pesado e algumas marcas foram compradas pelos grandes para serem desativadas. Outras não souberam lidar com a pressão e saíram do mercado por espontânea vontade. No caso particular da Urbano, em meio à negociação para sua venda sofreu um pequeno incêndio, localizado no escritório e mal explicado. 

Mas uma marca despontou como forte concorrente a quebrar a hegemonia da Caloi e Monark, a Savoy (Royce Union), com diversos modelos e cores, que viria a por fogo no mercado das Montain Bikes.

Montain Bike Savoy camaleão
Montain Bike Savoy camaleão

Pouco depois outra Fabricante entrou no mercado, acirrando ainda mais a disputa. Foi a Sundown, que assim como a Savoy era uma Montain bike para uso urbano e, talvez, pequenas trilhas, somente. Mas a de se destacar a qualidade de fabricação da Sundown, boa pintura, bom acabamento e peças de qualidade.

Sundown Rain drop 18 V
Sundown Rain drop 18 V

O mercado foi crescendo, as Montain bike mostraram que vieram para ficar e injetaram um novo ânimo no mercado nacional de bicicletas.

CURIOSIDADES

A Monark do Brasil ainda existe e fabrica Montain bikes, assim como outros modelos, como a Barra circular, por exemplo, mas seu catálogo de produtos é muito inferior ao da Monark do Peru, por exemplo:

Monark do Brasil
Monark do Brasil

 

Monark do Peru
Monark do Peru

Fontes:

http://www.escoladebicicleta.com.br/historiabicicletaBrasilA.html

http://sampabikers.com.br/dicas-e-curiosidades/historia-do-mountain-bike-no-brasil-os-20-primeiros-anos/

 

 

 

 

 

 

Anúncios

9 comentários sobre “Monark Ranger – A 1ª Montain Bike da Monark

  1. po a matéria é show, boas lembranças mas a monark e a caloi ja tinham modelos de aluminio em 90 e quem quebrou com élas foi sundow nas populares e a invasão das importadas tops que que ofereciam mais por menos
    A monark trail foi antes da monark six, etc

    • Olá Cristian, obrigado pelo elogio! Sim, Caloi e Monark tiveram bicicletas com quadro de alumínio nos anos 90, não destacamos a data no post, mas demonstramos um modelo da Monark. Aliás, o primeiro fabricante a introduzir quadros de alumínio foi a Caloi, com um quadro feito pela siderúrgica Alcoa, no início dos anos 90. Inicialmente quem rivalizou com Monark e Caloi, com relação as Montain bikes, foi a Savoy/Roice Union e pouco depois a Sundown, com uma qualidade superior a Savoy.

  2. Caraca que página show. Eu sou colecionador da Savoy, e inclusive tenho essa da foto que se chama Brekaway. Valeu.

  3. Oi, tenho uma das primeiras cor vinho metálico, me desfiz dos pneus e câmeras e agora não sei qual a numeração. Alguém sabe as medidas para poder comprar novos? Obrigado.

  4. Olá, meus caros!

    Eu estou restaurando minha monark ranger e estou com dificuldade pra encontrar um canote que encaixe no quadro. A maioria fica folgado.
    Alguém sabe me dizer que medida o canote deve ter e onde posso encontrar?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s